equilíbrio emocional

Equilíbrio emocional: como lidar com a vida pessoal e profissional

Como conquistar o equilíbrio emocional diante da necessidade de conciliar a vida pessoal e a profissional? Essa não é uma pergunta fácil de ser respondida. Sobretudo quando consideramos as relações de trabalho e as rotinas exercidas por trabalhadores.

No contexto geral, historicamente as relações trabalhistas foram se modificando para atenderem às condições e necessidades dos colaboradores ao longo dos anos. Se olhamos para o recorte temporal que a pandemia impôs a empresas e trabalhadores, vemos que a discussão sobre os limites entre vida pessoal e profissional se tornou ainda mais complexa.

Num mercado de trabalho em que a diversidade geracional marca diferenças de valores, visões, maneiras de se comunicar e se expressar, e apresenta desafios na gestão de recursos humanos para gestores, de que forma podemos pensar no equilíbrio emocional entre dois assuntos tão importantes na vida das pessoas? Descubra agora lendo o blog desta semana.

Equilíbrio emocional entre vida pessoal e trabalho: como este tema se tornou uma prioridade?

A busca por qualidade de vida é uma tendência crescente entre os trabalhadores. O mercado de trabalho reflete isso. A escolha por oportunidades que atendam expectativas ou sejam flexíveis a estilos de vida tem ditado o ritmo de contratações e o surgimento de novas vagas.

Algo que pode ser ilustrado através da mudança de cultura e mentalidade de muitas empresas, que passaram a oferecer condições mais flexíveis para atrair colaboradores, como o acesso a creches, planos de saúde que contemplem cobertura a idosos e programas de benefícios personalizados.

O que impulsionou esse movimento? A pandemia da COVID-19. As configurações remotas impostas para o funcionamento das novas rotinas de trabalho fizeram com que os trabalhadores começassem, de fato, a entender o que significa o equilíbrio emocional entre vida pessoal e profissional.

Afinal, neste período, a linha que separava o quarto de escritório, da sala de estar, era muito tênue. O cumprimento das responsabilidades profissionais e familiares, no mesmo ambiente, fez com que colaboradores se perdessem no espaço de distinção entre uma atividade e outra.

O resultado veio com números crescentes de funcionários estressados em home office. Uma pesquisa realizada pelo Linkedin mostrou que 62% dos profissionais estavam mais estressados e ansiosos trabalhando em casa. Exemplos claros de casos oriundos da integração desregrada entre vida profissional e pessoal.

Perceba: neste momento falamos em “integração desregrada” entre vida profissional e pessoal. Porque é neste ponto em que o equilíbrio emocional se perde e os efeitos psicológicos repercutem no desequilíbrio entre vida profissional e pessoal.

Colaboradores passaram a misturar tarefas pessoais e profissionais no dia a dia. Reuniões pela manhã também se tornaram os momentos de distração para os filhos, que assistiam a algum desenho ou vídeo pelo celular.

Com o fim da pandemia e o retorno gradativo às rotinas presenciais, empresas e colaboradores entenderam a necessidade de implementar modelos de trabalho mais flexíveis, que atendessem o objetivo de bem-estar coletivo entre colaboradores a fim de construir uma cultura organizacional saudável dentro da corporação.

>> Já sabe o que fazer para comemorar o final de ano na sua empresa? Conheça algumas ações de employer branding que podem te ajudar nessa tarefa.

6 dicas para ter mais equilíbrio entre a vida profissional e pessoal

O equilíbrio emocional entre vida profissional e pessoal acontece quando os trabalhadores conseguem balancear as atribuições pessoais e profissionais durante o dia, sem que uma sobreponha a outra.

Para atingir esse sistema balanceado é preciso mais do que disciplina e organização. Saber como estabelecer limites é fundamental, para que as atividades profissionais não ultrapassem o horário que devem seguir e, também, para que as obrigações pessoais não interfiram nas entregas de resultados.

É claro que, na prática, esse exercício não é tão simples. As demandas que surgem no dia a dia tornam todo o ecossistema corporativo ainda mais desafiador, porém, existem possibilidades para alcançar o equilíbrio desejado. Para atingir esse objetivo:

  • Procure definir limites: essa tarefa pode ser a mais difícil de todas, mas é preciso encontrar formas de articular prioridades e concentrar esforços naquilo que é mais importante. Aprender a negociar prazos e entregas;
  • Trabalhe a comunicação: a boa comunicação é o primeiro passo para alcançar o entendimento desejado sobre seus limites. Aprenda a se comunicar para conseguir expor suas opiniões de forma positiva dentro dos espaços corporativos;
  • Cuide da saúde mental: uma mente saudável e consciente de suas atribuições, trabalha com mais segurança e tranquilidade. Isso sem falar nos benefícios para a concentração, ganho de foco e redução de estresse. Busque ajuda e cultive hábitos de autocuidado para desenvolver sua consciência emocional e profissional;
  • Pratique a paciência: as rotinas corporativas podem oscilar entre momentos de euforia pela conquista de resultados e estresse por processos frustrados. Nessas horas, pratique a paciência, entenda que só ela pode ajudar a superar situações desconfortáveis e evitar problemas provocados por atitudes impulsivas;
  • Cultive hábitos de tempo de qualidade: fora do ambiente de trabalho, ter seus próprios hábitos de tempo de qualidade influencia diretamente na redução de estresse. Desfrutar de um bom tempo de descanso, atividades físicas ou hobbies ajuda a esvaziar a mente das dificuldades corporativas e a recarregar as energias;
  • Identifique formas de se organizar melhor: a falta de organização é um dos fatores que causa estresse e ansiedade em colaboradores. Tente organizar listas de afazeres ou um cronograma de entregas. Ter o domínio de suas atividades ajuda a cumprir etapas com mais calma;

Qual o papel das empresas no incentivo de uma vida mais equilibrada?

As empresas também podem cumprir o seu papel para garantir que os colaboradores consigam alcançar o equilíbrio emocional no trabalho. Gestores que conseguem ter uma visão sensitiva sobre o clima organizacional e o desempenho de suas equipes, conseguem obter melhores resultados operacionais.

Por isso, é importante incorporar ao dia a dia dos trabalhadores práticas inteligentes de gestão, para aproximar-se da realidade deles, entender como a empresa pode impactar positivamente no rendimento das equipes e, assim, contribuir para a estabilidade emocional entre trabalho e vida pessoal.

Entre as ações que você, gestor, pode tomar, estão:

  • Estimular espaços de trabalho adaptáveis: colaboradores se sentem mais felizes e motivados em ambientes que proporcionam autonomia para o gerenciamento do próprio tempo. A partir desse laço de confiança com seus gestores, terão mais estímulos para concluir suas tarefas e organizar o tempo com outras demandas;
  • Avaliar os benefícios corporativos oferecidos: o que traz mais conforto e motivação ao seu time? Conhecer a realidade de cada trabalhador e oferecer a eles condições positivas para trabalharem torna o ambiente de trabalho mais leve, saudável e estimulante;
  • Faça reuniões de feedback e alinhamento: entender como seu time tem se sentido quanto às demandas pode ajudar na leitura de melhorias para trazer harmonia à equipe e traçar novos objetivos para o sucesso coletivo;
  • Seja um incentivador das pausas criativas: estar imerso em um contexto de pressão por entrega de resultados pode causar cansaço mental, bloqueio criativo e queda de rendimento. Incentive a realização de pausas estratégicas durante o expediente, para distrair a mente dos seus colaboradores e incentivar ciclos de trabalho produtivos;

Se a leitura deste texto contribuiu para o ganho de conhecimento sobre equilíbrio emocional no trabalho, entenda também como implementar cuidados com a saúde mental dos seus colaboradores.

Compartilhar esta publicação