programa de incentivo

Como criar um programa de incentivo ideal para a empresa?

Em um cenário cada vez mais competitivo, um programa de incentivo bem estruturado pode ser a solução para reter talentos, estimular a produtividade e, consequentemente, atingir o sucesso de qualquer organização.

Isso acontece porque à medida que a gestão compreende as necessidades e os desejos dos colaboradores, desenvolve ações de motivação que impulsionam os resultados e criam um ambiente saudável e propício ao crescimento profissional.

Neste contexto, surge a necessidade de implantar um programa de incentivo que gere valor e senso de pertencimento para a equipe.

Embora seja um tema amplamente discutido, muitos empregadores encontram obstáculos na hora de realizar essa estruturação alinhado às metodologias do mercado de trabalho. Por isso, criamos um passo a passo para a criação de uma estratégia eficaz. Confira!

Como funciona um programa de incentivo?

Os colaboradores que alcançam os objetivos estabelecidos recebem recompensas, como vouchers para restaurantes e lojas, cursos profissionalizantes, vale-presentes e experiências como viagens, passeios e ingressos para shows ou cinema.

O seu objetivo é trazer mais satisfação aos profissionais e demonstrar o quanto cada um é importante para o crescimento da empresa.

O programa de incentivo é o que chamamos de uma “via de mão dupla”. Isso significa que, à medida que os funcionários percebem que a empresa valoriza seus esforços por meio de feedbacks construtivos e bonificações, a dinâmica dentro da companhia começa a mudar gradativamente.

Quando implementado com uma estratégia eficaz, o sistema interno começa a fluir de forma mais dinâmica, gerando um ambiente positivo e estimulante para todos os envolvidos.

5 passos para criar um programa de incentivo que valorize seus colaboradores

A seguir, confira um passo a passo para facilitar a implementação de um programa de incentivo na sua empresa:

1. Tenha objetivos e metas claras

Antes de mais nada, defina quais são as necessidades da empresa e de que forma os funcionários podem contribuir para que elas sejam atendidas.

Entenda o que você deseja alcançar com o programa de incentivo, por exemplo:

  • Melhorar a produtividade;
  • Ter mais clientes;
  • Aumentar os índices de venda;
  • Entre outros objetivos.

É bom lembrar que o programa de incentivo deve ser interessante para os dois lados. A equipe deve se sentir motivada a cumprir as metas, e estas devem estar alinhadas ao que a organização precisa.

Certifique-se que há um equilíbrio entre o objetivo estabelecido e a capacidade de alcançá-lo. Metas irreais têm um efeito contrário, causando desinteresse. Por outro lado, se forem fáceis de serem cumpridas podem não ter o efeito desejado.

Vale também estabelecer metas por departamento, individuais ou coletivas. As individuais garantem que um funcionário empenhado não seja prejudicado, caso os demais não consigam cumprir o que foi estabelecido.

Por outro lado, as coletivas ou por departamento podem empenhar o time e estimular a cooperação entre os colegas de trabalho. Assim, você também pode medir o engajamento dos participantes e identificar perfis que trabalham melhor de maneira individual ou em grupo.

Uma vez estabelecidas as metas, é possível implementar um sistema de recompensas por meio do programa de incentivo. Sempre que uma equipe ou colaborador atingir o objetivo determinado, podem ser premiados de acordo com o que foi acordado previamente.

Essas recompensas podem variar de acordo com as preferências da empresa e dos colaboradores, como bônus financeiros, reconhecimento público, dias de folga adicionais ou oportunidades de desenvolvimento profissional.

Ao seguir essas diretrizes, é possível criar um programa de incentivo que motive e engaje os colaboradores, ao mesmo tempo em que direciona os esforços da equipe em direção aos objetivos da organização.

2. Conheça os seus colaboradores

Uma maneira eficaz de obter insights valiosos dos colaboradores é por meio da realização de uma pesquisa interna. Ela permitirá uma melhor compreensão das principais demandas e aspirações da equipe.

Ao coletar informações diretamente dos profissionais, será possível obter uma visão mais precisa sobre suas necessidades, preferências e expectativas em relação ao programa de incentivo.

Essa análise detalhada proporciona uma base sólida para a concepção e a implantação do plano, além de ajudar a identificar as áreas em que os funcionários enfrentam desafios, bem como os obstáculos que podem estar impedindo-os de alcançar os resultados esperados.

Ao envolver os colaboradores no processo de criação do programa de incentivo, a empresa não apenas demonstra consideração por suas opiniões, mas também aumenta significativamente a probabilidade de sucesso do plano.

3. Escolha prazos adequados

Estipular os prazos adequadamente é outro ponto importante do programa de incentivo. Esses prazos não devem ser curtos nem longos demais.

No primeiro caso, o mais provável é que os funcionários fiquem focados somente em cumprir as metas pensando na bonificação, sem que haja uma mudança efetiva nos demais processos de trabalho. Por outro lado, se os prazos são muito longos, as pessoas perdem o interesse.

Outro detalhe é o tempo gasto para cumprir as tarefas. O gestor não deve estipular prazos muito apertados para que o serviço seja feito. As pessoas têm um ritmo diferente e nem sempre a rapidez é sinônimo de qualidade.

Além disso, um programa de incentivo não deve ter um prazo indeterminado, pois isso pode resultar em falta de direcionamento e motivação.

Ao estabelecer um período específico, cria-se um senso de urgência e foco, impulsionando a participação ativa dos colaboradores e a busca pelos resultados almejados.

Após a implementação, é fundamental realizar uma avaliação criteriosa dos resultados. Analisar se a estratégia foi efetiva e se alcançou os objetivos esperados é essencial para o aprimoramento contínuo do programa.

Caso a iniciativa tenha sido bem sucedida, é possível considerar sua repetição com frequência, mas sempre estabelecendo prazos claros e comunicando-os de forma objetiva.

4. Defina o tipo de bonificação

Ao definir o tipo de bonificação em um programa de incentivo, é fundamental considerar a relevância e o impacto que essa recompensa terá sobre os colaboradores.

Uma abordagem eficaz é oferecer benefícios tangíveis, como bônus financeiros, vale presentes, viagens ou experiências exclusivas. Essas recompensas materiais podem ser altamente motivadoras, pois proporcionam um reconhecimento palpável pelo esforço e pelo desempenho dos funcionários.

No entanto, além das bonificações materiais, é essencial considerar também gratificações não financeiras, como reconhecimento público, elogios, oportunidades de desenvolvimento profissional, flexibilidade no horário de trabalho ou até mesmo mais autonomia nas tarefas.

Por mais que seja importante oferecer bonificações, esteja atento ao orçamento destinado para isso. Não adianta oferecer algo fora da realidade que não poderá ser cumprido ou então investir no que não trará retorno.

Uma opção interessante é promover bonificações escalonadas, por exemplo: o programa de incentivo pode começar com um valor de prêmio menor, mas que aumenta progressivamente conforme a dificuldade ou com o passar dos meses.

Outra opção prática é um benefício como o cartão Bônus ValeCard, que permite aos empregadores fazer o pagamento de premiações de acordo com a política interna ou campanha de metas e criação de campanhas de incentivo ágeis e eficazes.

Além disso, o cartão é isento de encargos trabalhistas e previdenciários e tem facilidade na liberação da carga.

5. Comunique e divulgue aos colaboradores

Será que todos entenderam o que deve ser feito? Não adianta pressupor que sim. O ideal é que os líderes de equipe certifiquem-se disso, alinhando com cada um o que deverá ser feito previamente. Esse tipo de erro pode gerar esforço desnecessário e fazer com que a ação seja vista de forma negativa.

Feito isso, é hora de colocar a mão na massa. Os feedbacks devem existir durante a execução e ao término dela. Os colaboradores precisam ser informados de seus erros e acertos, para terem condições de conduzir a atividade da maneira correta.

O feedback positivo gera valorização e incentivo. Porém, se algo não está do jeito que deveria ser, o feedback construtivo deve apontar para a resolução do problema, em vez de enfatizar o erro.

Caso a meta seja cumprida, é importante reforçar o incentivo. Caso não seja, não é momento para abandonar o projeto: um esclarecimento detalhado daquilo que faltou e o que poderia ser feito pode servir como um aprendizado para que, posteriormente, os resultados sejam alcançados.

Em resumo, comunicar e divulgar o programa de incentivo de forma ampla, clara e contínua é essencial para engajar os colaboradores e garantir o sucesso do programa.

Utilizar diversos canais de comunicação, criar uma campanha de lançamento, fornecer atualizações regulares, valorizar a participação dos colaboradores e promover a interação entre eles são estratégias que podem contribuir para a adesão e o bom desempenho no programa.

Programa criado, não se esqueça de mensurar os dados!

Vale a pena registrar as metas e montar um histórico para gerar relatórios que permitam o acompanhamento individual dos funcionários e do grupo como um todo. Assim, você terá mais organização, parâmetros adequados para tomar decisões e mais eficiência na gestão de pessoas.

Essa etapa é muitas vezes negligenciada pelas empresas, mas é fundamental para identificar o progresso e a eficácia do programa. Ao mensurar os dados, é possível realizar uma análise comparativa entre o intervalo anterior e o período em que o programa foi implementado.

Isso pode revelar insights valiosos sobre os pontos fortes e as áreas de melhoria do projeto, possibilitando ajustes e aprimoramentos para futuras implementações.

A análise dos dados deve ser realizada de forma sistemática e periódica, permitindo acompanhar a evolução ao longo do tempo e ajudando na escolha dos benefícios da sua empresa.

Concluindo, um programa de incentivo com controle de dados e mensuração de desempenho dos colaboradores, metas e prazos, é extremamente importante. Para facilitar esse processo, é possível contar com uma empresa que também faz a gestão de benefícios.

Neste quesito, a ValeCard é especialista e ajuda a oferecer mais qualidade de vida para os seus colaboradores.

Compartilhar esta publicação